Excesso de selênio X diabetes

Um estudo publicado em setembro de 2009 por Laclaustra e colaboradores, da Universidade de Madrid, mostrou que altas concentrações de selênio no organismo podem estar associados com o aparecimento de diabetes e outros fatores cardiovasculares.

Selenio é um mineral essencial ao bom funcionamento do corpo humano. A falta de selênio também é um problema sério para a saúde dos indivíduos, podende levar ao mau funcionamento do coração, tireóide, além do aumento do risco de câncer.

Mas a maioria dos americanos consome de 60 a 220microgramas/dia de selênio, sendo que o recomendado pelo Institute of Medicine and Panel on Dietary Antioxidants and Related Compounds (2000) dos EUA é de 55 microgramas/dia. Esse excesso na ingestão de selênio está relacionado, principalmente, com as altas concentrações desse mineral no solo, o qual, por sua vez pode ser incorporado aos alimentos, bem como o uso de suplementos.

O estudo foi realizado com 917 adultos acima de 40 anos e concluiu que altas concentrações de selênio plasmático estavam associadas com maior prevalência de diabetes e de seus marcadores como o aumento da glicose de jejum e das concentrações de hemoglobina glicosilada. Além disso, dados mostram que em suplementação de selênio feita para o tratamento de pacientes com câncer, após 7,7 anos de suplementação (200 microgramas/dia de selênio) os indivíduos apresentavam maior risco de desenvolver diabetes.

Os dados deste estudo foram consistentes com os de outros estudos realizados nos EUA, sobre selênio e o aumento na concentração de lipídios e hipertensão.

Em Santa Catarina, a situação parece ser semelhante ao estudo mostrado acima. Nosso solo também parece ser rico em selênio, visto que uma grande parcela da população tem apresentado excesso deste mineral quando avaliado no sangue, mesmo nao consumindo com frequencia os alimentos fontes deste mineral, como a castanha do Pará (ou castanha do Brasil). Fique atento e avalie suas concentrações de minerais!

 

Para maiores informações ver artigo:

Serum Selenium Concentrations and Diabetes in U.S. Adults: National Health and Nutrition Examination Survey (NHANES) 2003-2004.

Martin Laclaustra 1,2 , Ana Navas-Acien 2,3 , Saverio Stranges 4 , Jose M. Ordovas 5 , and Eliseo Guallar 1,2